O Pastor Edward Hemming Dodd foi um verdadeiro servo de Deus, sempre fiel na realização da Obra do Espírito Santo. Edward Dodd foi o segundo Presidente da Igreja Cristã Maranata. Deixou um testemunho poderoso nos corações daqueles que o conheceram como um verdadeiro discípulo do Senhor Jesus, manso e humilde de coração. A história do pastor Dood é uma composição de lutas e grandes vitórias, exemplo de dignidade que a todos engrandece, sem nunca exigir nada, exceto de si próprio em fidelidade, preserverança, testemunho, fé e competência.

Edward Hemming Dodd nasceu em um lar evangélico, na cidade de São Paulo, em 25 de abril de 1919. Seu pai, George Saville Dodd, nasceu na Jamaica, possessão inglesa, e sua mãe, Edith Gladys Hemming Dodd, na Inglaterra. George Dodd imigrou para o Brasil para chefiar o corpo de engenheiros da empresa responsável pela urbanização de São Paulo, inclusive do bairro do Morumbi. Em São Paulo, uma das avenidas tem o nome de seu pai (Avenida George Saville Dodd).

O lar dos Dodds estava sempre aberto aos missionários que passavam por São Paulo. Em razão de sua hospitalidade, o lar da família foi citado no livro “Aventuras Missionárias no Brasil” como um verdadeiro oásis espiritual. Os encontros de Edward Dodd com missionários, que foram hóspedes em sua casa, contribuíram para que ele se despertasse para uma vida de dedicação a Deus. Na companhia de sua mãe, aos cinco anos de idade, Dodd entregou seu coração ao Senhor Jesus. Aos treze anos foi batizado pelo pai, que tinha sido consagrado como pastor.

Ao chegar o momento de ingressar na Marinha inglesa, um objetivo que acalentava desde a adolescência, tomou a decisão de se tornar um Pastor missionário. Em 1945, em meio à guerra, viajou para os Estados Unidos para estudar no Moody Bible Institute, o Seminário mais conceituado da época.
Ao retornar ao Brasil, em 1948, concluiu seu curso pastoral e recebeu o título de doutor em Teologia e foi recebido como Pastor da UESA – União Evangélica Sul Americana.

Foi ordenado pastor, tendo recebido imposição das mãos dos missionários da Missão Evangelizadora Sul Americana, à qual estava ligado. Foi indicado para o cargo de Professor do Seminário e Instituto Bíblico da UESA, sediado em Anápolis, Goiás. Pouco depois, aceitou convite para ensinar em Seminário da UESA (União Evangélica Sul Americana), em Pedra de Guaratiba, no Estado do Rio de Janeiro. Em Pedra de Guaratiba, teve como um de seus alunos o pastor Jonas Marques.

Em 1950, Edward casou-se com Sara Victalino Gueiros.

Em 1951 o casal foi para Anápolis, continuar o trabalho no seminário e Instituto Bíblico, ele como Diretor interno e ela como professora. Sua esposa, Sara, dedicou-se ao ensino de crianças e jovens e a lecionar no mesmo Seminário.

Em 1952, Edward voltou com a família para São Paulo e assumiu o pastorado da Igreja Cristã Evangélica.

Entre 1961 e 1965 dirigiu o Departamento de Missões das Igrejas Cristãs e Congregacionais do Brasil e Portugal.

Em 1965, o casal deu início a uma igreja no Leblon. Sua esposa, Sara, estabeleceu uma escola, localizada em uma favela, voltada para o ensino de crianças e adolescentes analfabetas, a fim de prepará-las para o ingresso no sistema público de educação. Como resultado dos trabalhos nessa escola, denominada Sarah Kalley, Sara conseguiu alfabetizar e colocar 220 alunos na rede escolar.

Poucos anos depois, o Pastor Dodd foi batizado com o Espírito Santo, momento em que ele descreve como de grande alegria e profunda paz. Como resultado dessa experiência, o Pastor Dodd transbordava de felicidade e glorificava a Deus. Seu testemunho foi: “Estou sentindo um gozo maravilhoso e uma profunda paz. Estou transbordando de felicidade!” Aleluia! Glória a Jesus! Deus me ouviu e me batizou com o Seu Espírito, quando estávamos sozinhos, o Senhor e eu.”

Foi, então, recebido na Igreja Cristã Maranata, tendo iniciado sua primeira congregação no Rio de Janeiro, já no ano de 1968.

Nos 10 anos seguintes, o Pastor Dodd estabeleceu inúmeras congregações da Igreja Cristã Maranata no Estado do Rio de Janeiro.

Em 1978 Deus o chamou para trabalhar no Presbitério em Vila Velha, tendo sido designado Secretário Geral do Presbitério da Igreja Cristã Maranata e passou a pastorear várias igrejas.

Em 1984, o pastor Dodd recebeu do Senhor o encargo de orientar o trabalho com crianças e adolescentes e instrução para os pais. Ele e a esposa trabalharam nesta grande seara. Deixou uma marca da mesma forma que outros que serviram ao Senhor neste ministério. O pastor Dodd pontificou seu trabalho no atendimento às crianças e adolescentes e jovens, meta atingida cujos resultados continuarão como frutos que dignificam seu nome como servo para honra e a glória do nome do Senhor Jesus. Este notável trabalho se estendeu por todo o Brasil e exterior.
Em 1986 assumiu o cargo de Presidente do Presbitério Espírito Santense da Igreja Cristã Maranata, diante da partida do querido pastor Manoel dos Passos Barros, promovido à gloriosa presença do Pai celeste.

Esteve como presidente do Presbitério Espírito Santense da Igreja Cristã Maranata de 1986 até o seu falecimento em 7 de julho de 2007.
O Pastor Edward Hemming Dodd foi um servo de Deus, sempre fiel na realização da Obra do Espírito Santo, um verdadeiro exemplo de dignidade, fidelidade e perseverança no trabalho do Senhor.

A nobreza do Pr. Dodd foi destacada pelo Pr. Gedelti Gueiros, ao proferir uma palavra em seu culto de sepultamento, ocorrido no dia 07 de julho de 2007:
O Pastor Dodd cumpriu sua missão, altivo em humildade, silencioso nos atos, gênio em fé e esperança, soberbo em sabedoria, construiu sempre, sem nada destruir. Como mestre, exemplo no saber em tudo o que fez e viveu, cuja origem introspectiva, resultado de um ninho de amor, tão difícil de ser concebido.
Assim vão passando os grandes que relembram o perfil de homens da mesma estirpe e nobreza, difícil de ser imitada, forjado pelo mesmo Espírito, que manteve uma linha traçada pelo Espírito Santo, sem deixar curvas e interrupções, caminhando sempre.
Trecho da carta escrita pelo pastor Gedelti Gueiros na ocasião do sepultamento do pastor Dodd, publicada nos jornais “A Gazeta” e “A Tribuna” do estado do Espírito Santo, em 7 de julho de 2007.