Este nome maravilhoso, o nome do Senhor Jesus… E quando abrimos, o profeta Isaías no Capítulo 9, verso 6, nós lemos estas palavras: “E o seu nome será Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade e Príncipe da Paz”.
A história da Igreja Cristã Maranata tem, no ministério do pastor Jonas José Marques, os instrumentos para o início de uma obra grandiosa, marcada pelos dons espirituais, dentre eles, o dom de profecia.

Jonas Marques nasceu em nove de junho de 1928, em Vassouras, no estado do Rio de Janeiro. Filho de José Marques e Paulina Marques, estudou no Instituto Pedra de Guaratiba, no Rio de Janeiro, com o professor Edward Hemming Dodd. Foi ordenado ao ministério da Palavra em vinte e sete de março de 1954 e casou-se com Irone de Amorim em catorze de janeiro de 1956.

O casal teve três filhas: Marta Lilian, Mirian Raquel e Maria Ester, que o descrevem como um homem de fé, cercado de desafios, mas com um espírito constante na obra do Senhor.

Pastor da Igreja Congregacional de Juiz de Fora, em Minas Gerais, Jonas Marques foi batizado com o Espírito Santo. Essa experiência com Deus foi determinante em seu ministério e na vida dos que com ele oravam por um grande avivamento espiritual.

Contudo, essa nova experiência o colocou em desconformidade com o corpo ministerial da Igreja Congregacional, pois a denominação não compartilhava com o direcionamento que Deus havia concedido ao pastor Jonas e sua família.

Ouviremos agora um breve relato de Rosimery Henriques Gomes, filha do pastor Joaquim Martins Gomes, sobre a revelação entregue a Jonas acerca do início da Obra em João Pessoa.

“O Senhor me deu um dom que era pra eu ir à João Pessoa. Estou vendo este ônibus com o nome de João Pessoa aí meu falou: é minha terra, eu te levo lá. Aí então, a obra começou ao mesmo tempo aqui em Campos e lá em Praça João Pessoa, a 70 quilômetros daqui aproximadamente 50, 70KM que é a terra onde eu nasci.

E esse foi o início de uma vida dedicada à evangelização e ao avivamento em tantas igrejas pelo Brasil e exterior, pois na década de 1970 o pastor Jonas visitou também Portugal, onde estava começando o primeiro grupo da Igreja Cristã Maranata, na residência do pastor Alexandre Rubem Melito Gueiros.

Em 1977 para 78, Jonas adoeceu. Ele teve uma revelação, procurou Gedelti e disse assim: “Gedelti, o Senhor me revelou que nós temos que mudar o nome da igreja. O Senhor revelou que o nome da igreja vai ser “Igreja Maranata Maanaim”. Aí Gedelti disse assim: “Jonas, Maranata Maanaim não, vamos colocar em ordem. Maranata é o templo, os templos vão ser Maranata e os Maanains, o lugar do retiro espiritual, vai ser um lugar para a doutrina. Então, reunir o povo juntos, esse lugar vai se chamar Maanaim”. Aí ficou o templo Maranata e os Maanains, isso aqui, Maanaim.”

“Assistindo à reunião na Toca numa noite, meio de semana, o pastor Jonas entregou uma profecia dizendo que esta obra ia ser transportada a países longínquios”.

Para seus irmãos em Cristo, deixou, além de seu testemunho de fé e servidão a Deus, registros doutrinários e proféticos que nortearam a Igreja Cristã Maranata, desde a sua formação até os dias de hoje e enquanto existir.